sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Para ode

Para  Mary Barbosa
Amar, amar ...
E não amar ninguém!
A vida me ensinou
Que não se deve amar
A quem não tem amor para dar.

Quando esses versos de Florbela entrou na minha vida
Descobrir também de súbito:
O amargo sabor da desilução.

Spacou o meu peito
Aturdiu o meu pensar,
Confundiu os caminhos,
Restou-me apenas um grito
sem ninguém para escutar!

Hoje ao menos me sinto forte.
Entendo que a vida pode ser uma primavera colorida,
Basta saber cantá-la sempre florida.
Amando sempre, mas sabendo a quem.

Mas, afinal, a quem eu quero enganar?

2 comentários:

  1. Nossa que honra!!! Sempre me surpreendendo ... seja com essa tua capacidade de criação, inteligência ou com esse teu jeito peculiar de me encantar.Essa homenagem me deixou emocionada, pois sabes o quanto Florbela me fascina.Te amoadoro amigo!!! Sou tua fã!!! Mary Barbosa

    ResponderExcluir
  2. Lindo mesmo. Tanto os de Florbela quanto os teus.
    Spacou meu coração tbm...

    ResponderExcluir