quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Poema

Segue um poema de autoria Elis Angela Franco uma excelente poeta, ao meu ver, que apresenta uma  escrita reflexiva da condição humana e metaliguística  e com uma trajetória promissora. Continue escrevendo... 
E muito obrigado pela dedicatória. Lindo achado da imagem do viver.

Consciência de quê?

                                     Para Joelson Santiago

Oh! Homem, oh! homens.
Em que(m) se sustentam
as certezas que trazeis
amarradas em sacos de vento?

Dizeis viver oh homens?
Tolos!

Sois apenas fulgurações
 do absurdos no vácuo do tempo.

Compreendeis: há divergências
entre Ser, estar e viver.

estar não é ser
estar é poeira no vento.

Ser é eterno, dúctil.
viver? Ah viver: só lamento.

Não compreendeis o murmúrio do Canto?
O Canto não é para entendimento.

É para que suporteis a certeza
irreal de ir
vi
   vendo
            vi
               vendo
                        vi 
                           vendo...       


Elis Franco em 15 de janeiro de 2011.

Um comentário:

  1. Elogio de amigo não vale. Mas como esse amigo é um especialista, vou considerar sim...Bjos e obrigada!

    ResponderExcluir